Edição impressa

Setembro Amarelo

Vivemos o mês das campanhas de prevenção ao suicídio, inclusive no dia 10 marcou a data de conscientização sobre o assunto. Como a pandemia trouxe o isolamento e o distanciamento social os vínculos deixaram de ser vividos presencialmente e muitas vezes apenas por mensagem pode não bastar, por isso privilegie ligações por vídeo ou voz em vez de mensagem de texto. Veja pessoas próximas em locais abertos e com uso de máscaras. Expresse sua religiosidade no seu templo de fé ou em casa e pratique yoga e meditação. Pratique exercícios físicos por no mínimo 30 minutos diários.
É preciso prestar atenção nos fatores de risco que são: tentativa prévia de suicídio, depressão, bipolaridade, vício em álcool e drogas, suicídio na família, solidão. Mas além disso também existem os sinais de alerta: vontade de dar uma pausa na vida; aumento do uso de álcool e de outras drogas; desesperança, desinteresse, desamparo; isolamento, afastamento de amigos e familiares; despedidas; falta de perspectiva de futuro; demissão, separação ou perda de parentes podem ser gatilhos.
Nos adolescentes fique de olho: distorção da imagem corporal, tristeza constante, insegurança, problemas em se relacionar com outros adolescentes, crises de raiva, baixa autoestima, lesões que nunca cicatrizam e perda de cabelo em lugares específicos da cabeça.

Comment here