Artigo Padre BertiloEdição impressa

Pe. Bertilo – Maria nos leva a Jesus

Pe. Bertilo João Morsch – Pároco da Paróquia da Ressurreição e Reitor do Seminário Maior São João Maria Vianey.

Celebramos neste dia 12 de outubro a padroeira do Brasil, Nossa Senhora Aparecida. Maria é apresentada no Evangelho como aquela que ouviu de maneira exemplar a Palavra de Deus, e como serva do Senhor diz: “sim” a sua palavra. Seguindo seu exemplo, chegaremos mais perto de Deus. A festa de Nossa Senhora Aparecida recorda a maternidade de Maria que nos plenifica de amor e de esperança. Na Mãe de Jesus nos tornamos filhos e filhas disponíveis à ação do Espírito Santo. Nossa fé não teria as marcas da ternura se não tivéssemos Maria como inspiradora.
Celebrar a Mãe e, no mesmo dia, lembrar as crianças é simplesmente maravilhoso. De imediato lembramos o convite de Jesus a termos um coração de criança. Com elas, aprendemos a amar. Elas são sinceras e amam desinteressadamente. Se gostarem de nós, logo saberemos. Não sabem dissimular. Pequeninas, sorriem ao menor toque. Não criticam, indagam apenas. Não discriminam, aceitam a todos sem distinção. Sabem conviver com as diferenças.
São alegres em todo o tempo, cantam, dançam. Fazem da vida uma eterna festa. Satisfazem-se com qualquer brinquedo. Independentemente de quanto custou. Não tem ambição. Nos ensinam mais que qualquer sábio. Confiam, o seu olhar brilha, o seu sorriso é sincero. Não nos pedem nada em troca do amor que nos dão, somente carinho e atenção. Tocam a nossa alma com a sua inocência. Mesmo as que não tem a oportunidade de ter um lar, sabem sorrir. E, quando nos dão um sorriso, ganhamos o dia. Pois o seu sorriso é uma lição.
Não existe coisa mais triste, que ver uma criança triste. Doemos o nosso sorriso a elas, sejamos alegres. Mostremos a elas a criança que existe em nós. Elas são o nosso futuro, precisam ser felizes, para nos fazerem felizes. Criança assume como verdade o que é dito a ela; por isso o que muitas vezes entendemos como ingenuidade é, na verdade o exercício infantil de acreditar. Com o tempo e a idade, nos afastamos dessa forma de ser e entender o mundo, as coisas e as pessoas, e a vida passa a ser vista como algo mais sério(pra não dizermos problemático).
Exercitamos esse nosso aspecto infantil sempre que nos permitimos sonhar. As vezes, nem é preciso fazer força e, em alguns momentos, é muito fácil. Vida de criança é plena de possibilidades, mas também há dúvidas que exigem explicação. Espiritualidade de criança é mais verdadeira porque se entrega, com maior facilidade ao que não se vê. As crianças não precisam sentir ou enxergar para saber que algo existe e que alguém as ama, elas simplesmente creem sem dúvidas, sem promessas, sem condições. Amando assim nada é impossível, o céu é logo ali; e Deus esta juntinho o tempo todo. Se todos nós vivêssemos como crianças um dia por semana tendo o olhar sobre as realidades da mesma forma que eles tem, nós rezaríamos melhor, entenderíamos o quanto somos amados e faríamos a vida dos outros e as nossas muito mais felizes. Que a Mãe Aparecida proteja todas as crianças, especialmente as que passam dificuldades e abençoe a todo o povo brasileiro.

Comment here