Edição impressa

Outubro Rosa

Em todo o mundo o mês marca a luta contra o câncer de mama, sendo que a data foi idealizada nos Estados Unidos ainda na década de 90, no Brasil foi adotado em 2002. Atualmente esse tipo de câncer é uma das doenças que mais preocupa as mulheres brasileiras, as estimativas mostram que por ano mais de 60 mil mulheres adquirem a doença e precisam enfrentar o tratamento que pode incluir cirurgia, radioterapia, quimioterapia, hormonioterapia e terapia biológica. O câncer de mama é causado pela multiplicação desordenada de células da mama que acabam formando um tumor. Também pode acometer homens, mas registros apontam apenas 1% de incidência. Lembrando que o SUS oferece todos os tratamentos que podem ser necessários.
Sinais: nódulo (caroço) fixo e indolor percebido através do toque, pele da mama avermelhada, retraída ou parecida com casca de laranja, alterações no mamilo, pequenos nódulos nas axilas ou no pescoço, saída espontânea de líquido anormal pelos mamilos. A forma mais fácil de detecção é a mamografia indicada para as mulheres.Ao perceber qualquer diferença é preciso ir a um especialista para iniciar o tratamento o quanto antes tendo maior chance de cura.
Em Santa Maria: a Liga de Combate ao Câncer em sua sede própria na Galeria Souza, na Dr. Bozano faz um trabalho social de prevenção, orientação e não são poucas pessoas que se engajam com essa equipe de voluntárias pela prevenção do câncer de mama e quando a descoberta é no início é possível tratar imediatamente, temos inúmeros exemplos em nossa cidade.

Poliomielite

Segue até dia 30 a campanha nacional de vacinação contra a Poliomielite para crianças de 0 a 5 anos de idade com objetivo de reduzir o risco de reintrodução do poliovírus selvagem no Brasil. Também será realizada a Campanha Nacional de Multivacinação para atualizar a Caderneta de Vacinação de crianças e adolescentes até os 15 anos. O dia 17 será o Dia D de divulgação e mobilização nacional. Todas as medidas de proteção serão tomadas para garantir a segurança e a saúde de pais e crianças que comparecerem aos locais de vacinação.
A poliomielite é uma doença contagiosa aguda causada pelo poliovírus que pode infectar crianças e adultos por meio do contato direto com fezes ou secreções eliminadas pela boca das pessoas doentes e pode provocar ou não paralisia. O Brasil tem a doença erradicada desde 1994, mas em 2019 devido a surtos em outros países o Brasil emitiu alerta por baixa cobertura vacinal. Para evitar que essa doença volte precisamos manter a vacinação em dia.

Lavar as mãos

A OMS marcou a data do dia 15 para lembrar a população da importância do hábito de lavar as mãos para remover vírus, bactérias e evitar resfriados e a transmissão de doenças. Em 2020 mais do que nunca com a pandemia que permanece há mais de seis meses lavar as mãos se tornou caso de saúde pública para evitar o contágio e disseminação do novo coronavírus e ouvimos diariamente o lembrete de ‘lave bem as mãos’. Dessa forma conseguimos evitar a transmissão, além de nos proteger contra algumas doenças e precisamos conscientizar as crianças para que desde pequenas tomem como hábito lavar as mãos antes de ingerir alimentos, após ir ao banheiro, após sair de casa para brincar e em outras inúmeras situações.

Sinusite crônica

Um processo de inflamação do nariz e seios da face que dura por mais de 12 semanas. Os sintomas são: sensação de nariz entupido, presença de secreção nasal, alterações no olfato, pressão ou dor na face, também podem surgir tosse, pigarro, fadiga e modificações nos padrões de sono. Essa doença vem sendo cada vez mais estudada, pois pode existir, por exemplo, em pacientes que já tenham asma ou outras doenças. Caso o tratamento clínico não resolva pode ser realizada cirurgia através de videoendoscopia com o objetivo de evitar que o paciente utilize tantos medicamentos via oral e consiga manter o controle da doença de forma local. Cada paciente deve ser avaliado individualmente para realizar o tratamento correto seguindo indicações de otorrinolaringologistas e pneumologistas.

Excesso de telas

Se antes da pandemia muito já se ouvia falar no risco que as telas podem causar a visão imagine agora que as aulas, reuniões, palestras, exercícios físicos e encontro com amigos são virtuais, sempre em frente às telas por muitas horas é preciso de uma atenção especial para evitar problemas tanto agora como depois. O uso prolongado pode causar visão turva, olhos secos, dificuldade de focar para longe e para perto, cefaleia, dor nos olhos é inclusive problemas de grau como a hipermetropia, dificuldade em ver de perto. Algumas dicas para aliviar ou evitar os problemas são: utilizar colírios lubrificantes, utilizar uma iluminação apropriada e confortável, respeitar a distância mínima de 35 a 45 centímetros dos aparelhos, corrigir erros de refração consultando um oftalmologista, manter a altura adequada, focar para longe após um período em frente às telas, piscar com maior regularidade.

Pagina 13.pmd

Comment here