Resumo Digital

Incentivo municipal

O prefeito e os vereadores a serem eleitos em outubro para a próxima legislatura deveriam colocar em seu plano de governo incentivo amplo e irrestrito para motivar empresários a investirem em dois segmentos que contemplam o município e as pessoas e devem se dar conta da economia que passarão a ter na estrutura municipal, passamos a explicar:

1º) Condomínios horizontais: ou seja, fechados com casas e total segurança, é uma administração conduzida pelos moradores sem interferência pública, sem gastos públicos. Para quem conhece o Vila Verde, Parque das Oliveiras e outros tantos já existentes na cidade. O investidor organiza o loteamento, cercado, com toda estrutura de água, luz, iluminação, calçamento ou asfalto, arborização, projetos para o lazer, enfim, uma cidade e quando tiver a permissão da prefeitura comercializa os terrenos e o comprador constrói dentro do padrão do condomínio, ou o próprio empreendedor constrói a casa e vende. Percebemos que a prefeitura a partir do Habite-se de cada casa passa a ter o pagamento do IPTU, da área da casa e mais as áreas de uso comum sem investir um centavo, só aprovar os projetos e o loteamento e o serviço que ela vai fazer é de simplesmente carregar o lixo de frente do condomínio e para tanto cada morador pagará uma taxa de coleta no seu IPTU e além disso, a economia da segurança pública em geral, pois dentro do condomínio a portaria, zeladoria e segurança ficam por conta dos moradores e eles terão assim tranquilidade e um local seguro para residir. Esse sistema teve ênfase no litoral e o quanto foi comercializado e por aqui como já falamos são vários condomínios, mas com esses dados os futuros eleitos devem analisar sobre o quanto economizariam com esse tipo de apoio concedido ao investidor para que execute a obra com rapidez. E assim podemos chamar a cidade de planejada e econômica. Quem não conhece visite os condomínios existentes para ver como funciona.

2º) Casas geriátricas: vivemos um momento delicado no atendimento público à saúde, sempre tem mais pacientes do que estrutura, além da falta de leitos e do descontentamento pelos pagamentos recebidos. As famílias são pequenas com um ou dois filhos, geralmente deixam o interior e a cidade em que residem em busca de centros maiores e lá fica o casal de pais. Vem a velhice, as empregadas domésticas desapareceram, hoje chamamos de diaristas, não moram mais no emprego, é muito difícil conseguir alguém que faça isso. E como um filho que tem as atividades muitas vezes distantes dos pais não tem como deixar para cuidar dos familiares. E vem surgindo a todo instante casas geriátricas especializadas no atendimento com todo conforto necessário. Evidente que deve haver fiscalização e acompanhamento, pois algumas deixam a desejar, mas por aqui não se tem conhecimento de que isso aconteça e já encontramos na cidade dezenas de casa totalmente lotadas de pessoas idosas que não têm mais quem cuide delas e ao mesmo tempo condições financeiras para bancar. É só olharmos o Lar das Vovozinhas, Oscar Pithan, Vila Itagiba, a lotação e graças aos aposentados, pessoas voluntárias, doadores e quem presta serviço que dão suporte para manter esses locais em funcionamento e assim mesmo são rigorosamente fiscalizados e pouca orientação recebem dos poderes públicos sobre como proceder. Muitas vezes a fiscalização chega no local, multa, manda as pessoas se defender e o poder público não chega a esses locais orientando ou colaborando de alguma forma para que o local esteja em condições de acolher pessoas idosas ou quem não tenha mais familiares. Não é o suficiente, Santa Maria está envelhecendo e a cada ano aumenta o número de idosos. Por isso, precisamos de casas geriátricas, talvez diferenciadas pelo poder aquisitivo das famílias, mas nesse caso como no dos condomínios tem que haver mais estímulo pela prefeitura municipal. Pois isso está ligado a prevenção e ao bem-estar aos idosos, para tanto, mais uma vez os futuros mandatários municipais devem trabalhar em conjunto e criar leis e mecanismos, não para onerar o município, mas para atrair investidores aos segmentos, concedendo-lhes benefícios fiscais, num primeiro momento podem pensar que a prefeitura deixa de arrecadar, mas devem pensar no quanto ela vai arrecadar adiante. Nos próprios condomínios quanto vai economizar na estrutura pública para mantê-la e nas casas o quanto vai abrir espaço nos postos de atendimento que serão feitos no local. E é necessário aqui a prefeitura interceder na cobrança das taxas de água e luz por um certo período para que cada órgão público faça sua parte em benefício de quem tanto precisa.

APOIO: Vidraçaria Miragem, CFC Padre Reus, Construtora Jobim, Pampeiro, Expresso Medianeira, AM Brum Assistência Familiar e Funerária Angelus, Ravanello Restaurante, Desinservice, Dr. Adair Marques, Sislimpa, Sicredi, Casa do Pastel, Floricultura Yamamoto, Sercimaq, Labivida, Pozzobon Agropecuária, Auto Ivo Multimarcas, Churrascaria Bovinu’s, Restaurante Estância do Minuano, Mecânica Manfio, Irmãos Bissacotti, Sucessu’s Tecidos e Malhas, Churrascaria Tertúlia, Agafarma Camobi, Walter Beltrame, Sibrama, Aguativa, Redemac Potrich, SM Fibras, Ponto da Dieta, Santa Catarina Transportes, Pizza You, Mecânica Medianeira Randon, Vigilare, Madeireira Cerrito, HCAA, Duque Auto Posto, Unimed, Moinho Santa Maria, Loja Safira, Frazzon Iluminação, Restaurante Vera Cruz, Ponto das Pedras, Multipress, Beliva Distribuidora, Posto São Marcos, Guigu’s Gás, Casa do EPI, Bella Trento.

Comment here