Gastronomia

Gastronomia – Edição 1320

Ponto da Dieta: o dia 31 de agosto marcou a data para homenagear os nutricionistas que em nossa cidade o primeiro curso foi pela Unifra e depois pela UFSM. Uma profissão que tende a crescer cada vez mais pelas exigências do consumidor e as pessoas ao chegarem a uma certa idade buscam qualidade de vida para estarem felizes e a alimentação é um dos caminhos para que isso aconteça. Paula Reginatto, empresária formada em Nutrição, abriu uma loja há quase 15 anos no segmento, onde a pessoa além de comprar o que quer consumir tem orientação técnica por parte dela. As pessoas devem deixar de serem influenciadas pela mídia para a compra de produtos naturais, como é dito, e que muitas vezes prejudicam o organismo se não forem adequados e na dose certa também. Sabemos o quanto a pessoa evita ir ao médico ou buscar um especialista e vai direto às compras e começa a usar. Medicamentos naturais mal aplicados podem prejudicar até o bom funcionamento do intestino e causar outras consequências prejudiciais à saúde. E no Ponto da Dieta você encontra a indicação caso a caso do que você pode consumir. Faça uma visita e uma consulta e previna-se na sua saúde, Floriano Peixoto 1980, 3222-1030.

Produtos integrais: vem aumentando o consumo só que os valores são elevadíssimos. Mas não encontramos em nenhuma parte inclusive sobre o pão se são feitas pesquisas ou se os produtos aplicados têm fontes e pesquisas que indicam que vão atender o que a palavra integral refere-se. A própria indústria que coloca à venda uma linha variada de produtos e não se encontra em parte alguma manifestações se o produto realmente atende o que prevê. Portanto é bom consultar técnicos antes de passar a consumir e talvez não seja o indicado e com isso a pessoa não tem o resultado esperado. Além do médico é importante manter contato com a nutricionista para receber orientações.

Lúpulo se destaca: O plantio no Rio Grande do Sul tem envolvido muitas experiências devido a expansão do mercado de cervejas artesanais e a necessidade de incluir a flor que dá aroma e sabor característicos à bebida. A Emater e a secretaria estadual de Agricultura vão monitorar a partir desse mês cinco propriedades na Serra para um projeto de desenvolvimento da cultura no estado. A iniciativa servirá para pesquisas, treinamentos e ações de trocas de experiências com produtores do exterior capacitando técnicos da Emater para que assessorem os produtores interessados em produzir a flor.

Trigo: a seca, o frio, a chuva mesmo com tanto ânimo os produtores já estão sentindo os prejuízos na colheita. É cedo, por aqui está apenas crescendo, No Mato Grosso já estão colhendo. Vamos aguardar o que vai acontecer.

Batata-doce: norte e nordeste do país a produção se destaca e é exportada. E agora um empresário de Carazinho visitando o Mato Grosso descobriu lá uma indústria que transforma esse tipo de batata em etanol e já recebeu o sinal verde da FEPAM e a cidade mencionada vai receber a primeira indústria do estado que vai mobilizar centenas de agricultores para o plantio e o etanol será colocado à disposição dos consumidores e o farelo será vendido às indústrias de ração. Parabéns a São Vicente do Sul que realiza a Festa da Batata Doce anualmente, isso será um estímulo no segmento.

Buffets: sabemos da riqueza e quanto foi investido nos restaurantes locais e dado o momento atual inúmeras alterações. Na Grande Porto Alegre empresários inovaram chegando a criar uma estrutura para separar o consumidor das demais pessoas com total sucesso. Por aqui acabou o tempo do consumidor se servir, agora ele é servido pelo atendente do restaurante. Está indo para um bom caminho com o retorno das pessoas conscientes aceitando o novo sistema e os decretos que regulamentam, aos poucos retomamos o passado, mas achamos que o buffet à vontade vai custar para voltar ao normal.

É piada: o que encontramos no comércio hoje. O preço que foi o arroz incentivando a produção daqui para frente, pois ninguém esperava isso e da mesma forma o leite e seus derivados. Quem precisa consumir queijo e seus vários tipos deve pesquisar os valores antes de comprar para não levar sustos. E o feijão que é o básico das refeições da mesma forma. É um horizonte para quem investe nos segmentos.

Alimentação: é o setembro da primavera e das mudanças de clima, o principal é a conscientização de cada um, mudança de hábitos e quando não se tem conhecimentos buscar assessoria com nutricionistas para ter acompanhamento e uma vida sadia. O principal ingrediente é a água e depois saiba escolher alimentos e frutas de seu agrado e nossa cidade é muito bem abastecida e além disso nós temos as feiras de segunda a sábado, o principal é o Feirão Colonial na Heitor Campos, mas a Feira Regional na Praça dos Bombeiros, a Feira na Av. Roraima em Camobi e em várias partes da cidade sempre encontramos uma feira para abastecer o consumidor e o principal é que os produtos vêm direto do produtor.

Agronegócio: divulgada a arrecadação deste no estado da produção agrícola mesmo na pandemia gerou mais de R$ 120 milhões de receitas de impostos, 7% a mais que no ano passado. O que mais influenciou foram as exportações. Quanta riqueza, com tanto desvio e assim mesmo o Brasil não quebra e o agronegócio está salvando cada vez mais o nosso país.

Lajeado: para quem passa na 386 próximo ao Rio Taquari, uma rodovia repleta de empreendedorismo e ali está a indústria Fruki que não só produz sucos, mas agora cerveja, energético, comercializa a Água da Pedra e outros produtos. A felicidade do município em ter uma indústria deste porte.

Dom Corleone Alimentos: é um atacado no bairro Uglione, na Rua Miguel Carvalho de Macedo, 263. Ligue 3347-7821.

Comment here