Edição impressa

Feiras do produtor ao consumidor

Há mais de 50 anos nossa cidade valoriza o segmento e o consumo é notório através das feiras e quantos feirantes que são madrugadores, pois amanhecem em algum ponto da cidade trazendo a sua produção. E desses investidores alguns tornaram-se grandes empresários. Ainda hoje encontramos em algumas feiras de geração para geração e a felicidade do consumidor que sabe o que vai comprar e consumir. A tecnologia avançou tanto na produção quanto na comercialização e os destaques são inúmeros, pois de segunda a sábado em algumas rua da cidade encontramos uma feira e os produtores e comerciantes não só de Santa Maria, mas da Região Central. Sabem eles que aqui a venda é certa. E no sábado há quase 30 anos o Feirão Colonial na Heitor Campos administrado pela irmã Lourdes Dill e sua equipe, um projeto do saudoso bispo Dom Ivo. Além de ser uma feira com variedade, você encontra tudo o que precisar lá, forma amizade, abre frentes de negócios e a felicidade na volta de cada comprador com o que está levando para casa. Na semana encontramos lá um feirante de Paraíso do Sul, Valdemir Vaezzaro e sua esposa, que são quatro famílias que trabalham em conjunto, cada uma produz e cultiva o que é combinado entre eles e depois fazem a venda nas feiras em conjunto, todos os produtos são orgânicos e já têm os consumidores certos aos sábados que recebem uma cesta de produtos coloniais com valor determinado mantendo a fidelidade com as famílias. E assim por diante nesta feira a região central sempre se faz presente e no final de ano teremos a FEICOOP que será diferente neste ano, só com expositores locais. A irmã Lourdes sempre preocupada com seu trabalho no final do mês, dia 29, comemora seu aniversário.

Comment here