Editorial

Eleição histórica

Primeiro pela mudança de outubro para esse dia 15 de novembro em função da pandemia. Se não fosse pelos interesses políticos poderia ter sido unificada em 2022 com eleições gerais no Brasil e com os atuais mandatos de vereadores e prefeitos prorrogados. Dá para imaginar a economia que seria para o Brasil? Só nos fundos partidários e eleitoral já seria uma amostra do quanto de dinheiro teria para investir na educação e saúde. Alguém me disse: ‘não daria empregos eventuais para cada partido que nas eleições toma conta das ruas da cidade’. A partir de hoje estão desempregados, nem todos, pois ainda tem o segundo turno com emprego a vista. Em segundo lugar uma bela campanha com confrontos, mas nem tanto como no passado com os comícios que provocavam, hoje os debates são troca de palavras diferente do passado e muitas vezes faltou até argumento. Mas no geral não houve tanta ofensa, porque cada partido já pensa no segundo turno e ele vai negociar se foi derrotado na eleição de ontem seu apoio, os cargos que vai ganhar se seu candidato vencer no dia 29, assim é a política. Em terceiro o legislativo que teve mais de 300 pretendentes a uma das 21 vagas, sabemos e conhecemos mesmo à distância cada um, é tanta gente nova e desconhecida que agora durante quatro anos vão revelar porque vieram e o que farão pelo município. Os atuais vereadores que não conseguiram se reeleger devem fazer a pergunta, onde errei? O povo sabe julgar e muitas vezes com tanto candidato pela amizade, parentesco, a busca de um possível emprego acaba levando os votos desses eleitores e não pelo que eles vão representar. Por quarto lugar agora os dois vencedores do primeiro turno Sergio Cechin e Jorge Pozzobom vão disputar a cadeira do executivo cada um com apoio dos partidos e caberá ao eleitor no seu dever cívico comparecer à urna para votar e depois não reclamar. Se alguém pouco faz quando está no cargo não adianta reclamar, pois nós o elegemos, por isso é importante o seu voto consciente e secreto, não se deixe influenciar. É mais uma eleição para fechar o mês, no dia 29 de novembro. O mês histórico e a partir do dia 30 o vencedor deverá ser humilde para ir ao encontro dos demais candidatos e pedir sua contribuição para uma gestão diferenciada nestes quatro anos. O santa-mariense com sua humildade e solidariedade mais uma vez espera que vença aquele que vai cumprir os planos da campanha eleitoral.

APOIO: Vidraçaria Miragem, CFC Padre Reus, Construtora Jobim, Pampeiro, Expresso Medianeira, AM Brum Assistência Familiar e Funerária Angelus, Ravanello Restaurante, Desinservice, Clínica Borsatto, Dr. Adair Marques, Sislimpa, Sicredi, Casa do Pastel, Floricultura Yamamoto, Sercimaq, Labivida, Pozzobon Agropecuária, Auto Ivo Multimarcas, Churrascaria Bovinu’s, Restaurante Estância do Minuano, Mecânica Manfio, Irmãos Bissacotti, Sucessu’s Tecidos e Malhas, Churrascaria Tertúlia, Agafarma Camobi, Walter Beltrame, Sibrama, Aguativa, Redemac Potrich, SM Fibras, Ponto da Dieta, Santa Catarina Transportes, Pizza You, Mecânica Medianeira Randon, Vigilare, Madeireira Cerrito, HCAA, Duque Auto Posto, Unimed, Moinho Santa Maria, Loja Safira, Frazzon Iluminação, Restaurante Vera Cruz, Ponto das Pedras, Multipress, Beliva Distribuidora, Posto São Marcos, Guigu’s Gás, Casa do EPI, Rodas e Cia, Bella Trento.

Comment here