Editorial

Santa Maria é um canteiro de obras

Não precisa nem dizer para quem anda pela cidade e vai constatar que vivemos uma riqueza de investimentos. Em primeiro lugar da iniciativa privada com prédios e mais prédios, condomínios, o Minha Casa Minha Vida que realiza o sonho e contempla as pessoas, mesmo que seja com recursos públicos e o que não falta são reformas, pois quem tem um lar sempre quer o seu melhor. Com planejamento e determinação os investidores, quando a burocracia não é morosa, cumprem os prazos e adquirem credibilidade, sempre atendendo ao cronograma de obras.

Obras públicas são a pauta de hoje aqui na rádio e na página na segunda em nosso site. Primeiro parabenizo as empreiteiras santa-marienses que conquistam o trabalho a ser feito através de licitações, tudo corretamente e por serem daqui o dinheiro fica na cidade e sabemos que elas têm segurança e logística para executar a obra contratada. O que estou ponderando é a agilidade, sabemos dos imprevistos, mas não é justo começar obras e não terminar, é só andar pela cidade e quantas encontramos iniciadas e não acabadas ou, então, começam uma e deixam outra pela metade. Assim, sendo, causa transtornos ao trânsito, é necessário corrigir esse detalhe. Segundo, um contrato é o instrumento legal principalmente no setor público. Deve ter deveres e direitos e onde também deve constar que o poder público tenha uma equipe de técnicos para fiscalizar o material aplicado e as obras executadas conforme projetos tecnicamente preparados por profissionais do município. Ao conversar com algum empreiteiro eles revelam que seguem o projeto e podemos constatar falhas em algumas obras executadas inclusive danificando calçadas, bocas de lobo e não recuperando, pois elas pertencem aos usuários e segundo foi dito, pelas denúncias que temos, que não compete a eles fazer o conserto. Terceiro as obras licitadas competem a empreiteira vencedora que deve cumprir o acordado, no entanto, buracos avulsos pelas ruas e que não são poucos (panelas) que podem causar acidentes, chegou ao meu conhecimento que as pessoas ligam para a prefeitura e é sugerido que comuniquem ao setor competente para que seja anotado e entre no plano de obras. Ora, isso não precisaria de concorrência, basta a própria equipe do município executar o serviço que em alguns casos constatei que podem causar acidentes graves. Quarto custou, mas estamos vibrando porque mais de 40 empresas adotaram espaços públicos, só que algumas há mais de ano e só encontramos lá as placas comerciais da firma que adotou. É necessária fiscalização e quem adota deve apresentar um projeto técnico ou de profissionais para embelezar o espaço adotado. Quinto esta é minha opinião hoje, não são críticas apenas verdades constatadas por mim ou por informações que são endereçadas ao Jornal e em nosso espaço na Rádio Imembuí, aceito a crítica, o conteúdo transcrito é necessário para termos uma cidade humanizada, embelezada e com bom aproveitamento do dinheiro público.

No dia 24 de agosto de 1954: uma data triste para o Brasil, talvez de alegria por aqueles que eram contra a gestão do saudoso presidente Getúlio Vargas, nasceu em São Borja e no passado era comum os fazendeiros encaminharem os filhos para estudar nas capitais. E desse cidadão gaúcho nasceu um político que governou por um período de instabilidade, agradando alguns e magoando outros, mas dessa semente e dessa governança que tivemos tantos avanços e leis que sempre visavam o trabalhador. No segundo mandato que culminou com seu suicídio, talvez pelas infiltrações daqueles que como sempre querem levar vantagem e possivelmente ele não concordava, e para evitar uma gravidade maior cometeu o suicídio. Hoje a história relata bem sobre esse gaúcho que não é esquecido e quantos podem dizer que sentem saudades daquele tempo e atualmente com tantos avanços tecnológicos, avançamos demais, tivemos uma parada em 1964 e a volta em 1985 até o presente diante de uma conjuntura nacional que diariamente nos deparamos na mídia com um olhar triste em vermos poderes constituídos que disputam espaço e não conseguem dialogar pelo bem do país. É tanta disputa pelo espaço que chegaram a criar a figura do aliado, os centrões e deixaram enquanto isso as facções criminosas prosperarem, começou no Rio com a Luz Vermelha, em São Paulo com o PCC que pelo visto estão disputando espaço entre elas e pelo que se constata têm ramificações pelo Brasil todo, com patrimônios incalculáveis, com dinheiro e poder e quem precisa se aproxima e apoia. Vamos neste 24 refletir que éramos felizes e não valorizávamos. Nem a pandemia do coronavírus causou medo para alguns gestores públicos lá de Brasília. Ainda bem que o país tem tantas virtudes e que podemos acreditar que tudo passará como disse recentemente Francisco Turra ao deixar o cargo que ocupava na ABPA ‘o agronegócio é uma amostra do que há de melhor em nosso país’ e disse mais, ‘sou otimista e acredito no Brasil’. Vamos superar essa fase, mas sempre lembrando a Era Vargas. Onde ele está sepultado em São Borja, quem vai aquela cidade, na certa visita o cemitério.

Casa do Pastel: há mais de 25 anos estabeleceu-se na Avenida Ângelo Bolson sendo a primeira casa no segmento da gastronomia e com a novidade exclusiva em pasteis. E quem não conhece o famoso pastelão que é uma agradável refeição para os adultos e crianças. Com transformações nesse período de pandemia, mas nunca deixando de atender ao consumidor dentro das normas municipais. Agora com espaço reduzido e o crescimento do atendimento via tele-entrega. E a Ana Toniolo, junto com o namorado abriu ao lado o Stan Burguer com amplo espaço para atendimento. E nesse 24, uma data inesquecível ela comemora seu aniversário com saúde, dinamismo e vontade de empreender sempre.

Pedro Saccol Filho: santa-mariense deixou o SESC e assumiu em Livramento. Com uma gestão profícua, de muitas realizações, com novidades, vamos sentir saudades desse gestor com sua cautela sempre encontrava uma solução para resolver questões. E sabemos o quanto o SESC que foi criado em 13 de setembro de 1946 em Porto Alegre e em Santa Maria mantém sua sede no Parque Itaimbé com todos os serviços que trazem benefícios para a comunidade. Quem será o novo titular? No meu pensamento tenho três nomes locais, porque deveria ser daqui, pela facilidade em conduzir um trabalho a contento de todos. E quem vai assumir tem um desafio muito grande pela frente, consolidar a semente que o Pedro tanto trabalhou, conquistou acordo entre prefeitura e SESC para construção de um prédio na Acampamento na antiga sede da USE. Os projetos devem estar quase concluídos na prefeitura e na certa as obras começarão em breve. Que em sua nova missão, agora perto da esposa e da família, seja feliz e realizado, ele merece. E sabemos o quanto seu saudoso pai Pedro Saccol fez por Santa Maria, e a Avenida que dá acesso ao Parque Industrial traz o seu nome. E o Pedro recentemente assinou um acordo com a prefeitura para compra de produtos para o Mesa Brasil valorizando a agricultura familiar.

Rua do Acampamento: recebeu obras recentemente, já foram concluídas?? Entregues à prefeitura? Se alguém puder, me responda. E atente para o editorial de hoje e o que escrevi.

APOIO: Vidraçaria Miragem, CFC Padre Reus, Construtora Jobim, Pampeiro, Expresso Medianeira, AM Brum Assistência Familiar e Funerária Angelus, Ravanello Restaurante, Desinservice, Dr. Adair Marques, Sislimpa, Sicredi, Casa do Pastel, Floricultura Yamamoto, Sercimaq, Labivida, Pozzobon Agropecuária, Auto Ivo Multimarcas, Churrascaria Bovinu’s, Restaurante Estância do Minuano, Mecânica Manfio, Irmãos Bissacotti, Sucessu’s Tecidos e Malhas, Churrascaria Tertúlia, Agafarma Camobi, Walter Beltrame, Sibrama, Aguativa, Redemac Potrich, SM Fibras, Ponto da Dieta, Santa Catarina Transportes, Pizza You, Mecânica Medianeira Randon, Vigilare, Madeireira Cerrito, HCAA, Duque Auto Posto, Unimed, Moinho Santa Maria, Loja Safira, Frazzon Iluminação, Restaurante Vera Cruz, Ponto das Pedras, Multipress, Beliva Distribuidora, Posto São Marcos, Guigu’s Gás, Casa do EPI, Bella Trento.

Pagina 3.pmd

Comment here