Sem categoria

Artigo Pe. Bertilo João Morsch

Nós e nossos relacionamentos

Pároco da Paróquia da Ressurreição e
Reitor do Seminário Maior São João Maria Vianey.

            O que caracteriza os relacionamentos atuais? A solidão assusta e atrai ao mesmo tempo. Assusta porque parece que não temos com quem contar. Atrai porque ela nos poupa do desgaste da dependência de outras pessoas, mas até que ponto podemos ir para manter nossos relacionamentos?

            Vivemos em um mundo superpovoado, que nos faz ter dificuldade de privacidade e solidão. Refiro-me à solidão boa, aquela que nos permite meditar e mergulhar em um silêncio reparador.

            Por outro lado, nós, seres humanos, somos seres sociais, ou seja, precisamos uns dos outros para nos tornarmos quem podemos e devemos ser. Como nos relacionamos em vários setores da sociedade (trabalho, escola, lazer, família, etc), nem sempre podemos escolher todos os relacionamentos em que estamos envolvidos.

            Assim como há pessoas que nos ajudam no desenvolvimento integral, também há pessoas que parecem ser tóxicas, que nos criticam em tudo e não nos incentivam a nada de bom. Por mais incrível que pareça, muitas pessoas preferem se manter em relacionamentos tóxicos do que ficarem sozinhas. Para quem não tem vida interior nem estabilidade emocional, a solidão pode ser devastadora. Se a curto prazo, a companhia, mesmo que não saudável, pode ser uma solução paliativa, a longo prazo ela costuma ter efeitos nocivos, já que não há como evoluir na medida do possível sempre em companhias negativas.

            Diante disso precisamos refletir: não devemos suportar relacionamentos tóxicos só para fugir da solidão. Muito melhor então, é investirmos na nossa saúde emocional e só aceitarmos a companhia de quem nos faz realmente crescer. Outra reflexão é de que temos que estabelecer prioridades em nossa vida. Quais são nossos valores primordiais? Quais nossos objetivos e qual o sentido da nossa vida? Temos realmente afinidade com as pessoas que convivem conosco? Sabemos distinguir um verdadeiro amor de uma paixão?

            Certamente que a afinidade principal deve ser a espiritual. Muitos jovens casais podem achar que isso não é importante, mas o passar do tempo vai mostrando que realmente é. Por outro lado, não devemos acreditar que os relacionamentos, por melhores que sejam, serão um eterno mar de rosas, pois sempre haverá arestas a serem aparadas.

            No entanto, como diz bem o ditado, quando Deus ocupa o primeiro lugar na nossa vida, tudo o mais que nos cerca vai ocupando o seu devido lugar. Priorizemos nossos verdadeiros valores! Só assim nossos relacionamentos nos elevarão ao lugar que mais nos aproxima do nosso melhor!

            Isso nos faz refletir: quando você ama alguém e sente que para manter essa pessoa ao seu lado você tem que sofrer, sacrificar sua essência e até implorar, mesmo que doa, retire-se. E não tanto porque as coisas ficam difíceis, mas porque quem não faz você se sentir valorizado, quem não é capaz de lhe doar o melhor de si mesmo, será incapaz de retribuir o compromisso e a entrega que você dispensou a ele e, definitivamente, você merece um amor do tamanho de si.

APOIO: Vidraçaria Miragem, CFC Padre Reus, Construtora Jobim, Pampeiro, Expresso Medianeira, AM Brum Funerária e Assistência Familiar Angelus, Desinservice, Sislimpa, Sicredi, Casa do Pastel, Bella Vista Supermercados, Floricultura Yamamoto, Sercimaq, Labivida, Pozzobon Agropecuária, Auto Ivo Multimarcas, Churrascaria Bovinu’s, Restaurante Estância do Minuano, Mecânica Manfio, Irmãos Bissacotti, Sucessu’s Tecidos e Malhas, Agafarma Camobi, Beltrame Casa Completa, Sibrama, Aguativa, Redemac Potrich, Tiane Jóias, SM Fibras, Santa Catarina Transportes, Mecânica Medianeira Randon, Vigilare, Madeireira Cerrito, HCAA, Duque Auto Posto, Coopaver, Unimed, Moinho Santa Maria, Loja Safira, Frazzon Iluminação, Restaurante Vera Cruz, Ponto das Pedras, Multipress, Posto São Marcos, Guigu’s Gás, Travelmix, SIM (ATU), Casa do EPI, Marcenaria Tropical.

Comment here